Portal usa GPS para ajudar a relançar pequeno comércio em Lisboa

Uma plataforma interativa com geolocalização foi lançada para ajudar a relançar a economia do pequeno comércio na cidade de Lisboa, após o período de pandemia, criando um espaço digital para as empresas que não têm presença ‘online’.

Em declarações à agência Lusa, a diretora executiva da ForTrevo, Olga Duarte, referiu que o portal surge na sequência de um desafio lançado pela empresa OutSystems, através do COVID-19 Community Response Program.

“Quisemos levar isto um pouco mais além. Pensámos no que podemos ajudar em época do Covid-19, mas também como ajudar o pequeno comércio a mostrar-se”, salientou a também cofundadora da empresa, acrescentando que a ideia é “criar presença digital a empresas que não a têm”.

De acordo com a responsável, o projeto funciona através de “permissões de localização”, para que seja possível filtrar as empresas que se encontram no local do utilizador. Com o objetivo de ajudar a comunidade, a plataforma “Around Me” é apenas de caráter informativo e pode ser consultada a partir de um computador, telemóvel ou tablet.

“Neste momento, é informativo e tem um pouco de publicidade do pequeno comércio. Acaba por funcionar como ‘publicidade vs marketing’ do pequeno comércio”, disse Olga Duarte, adiantando, todavia, que está pensada a criação de uma segunda versão, que deverá “dar um bocadinho mais autonomia às lojas, para poderem fazer upload [carregar, em tradução livre] de informação, como também fazerem catálogos”.

Lisboa lança app com informação em tempo real da cidade

A Around Me foi criada em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e em colaboração com a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) e a União de Associações do Comércio e Serviços. “Nós temos estado em colaboração com a Câmara Municipal de Lisboa e com a Área Metropolitana de Lisboa (AML), que nos estão a colocar em contacto com outras instituições para que elas passem a ter uma presença online”, observou.

Para continuar a ler, clique aqui.

Fonte: ECO – Portugal