BH terá mapeamento do esgoto para identificar regiões com coronavírus

Pesquisadores do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) iniciaram nesta sexta-feira (24) o monitoramento do sistema de esgoto de Belo Horizonte e Contagem, na região metropolitana. A intenção é coletar amostras e verificar a presença do novo coronavírus em diferentes regiões. Os primeiros resultados devem ser concluídos na primeira quinzena de maio.

O projeto-piloto, primeiro no país, foi desenvolvido pela UFMG em parceria com Agência Nacional de Águas (ANA), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e Copasa.

De acordo com Carlos Chernicharo, coordenador do INCT, serão 22 pontos de coleta, entre os ribeirões do Onça, no Barreiro, e do Arrudas, em Santa Efigênia (Leste), além da Pampulha e Contagem. A retirada será semanal até o fim deste ano.

“A demanda por testes é grande, e a pesquisa pode ser uma alternativa para identificar as áreas onde há maior contaminação. Vamos analisar amostras de vários pontos das cidades e observar em quais regiões há maior incidência do vírus. Assim, vamos saber em quais os bairros o coronavírus tem circulado mais”, explicou Chernicharo.

Conforme o projeto, as informações geradas serão cruzadas com os dados de internações fornecidos pelas secretarias de saúde. A partir daí, será desenvolvido um mapeamento de área de circulação do Covid na capital e na cidade vizinha.

Para ler mais, clique aqui.

Fonte: Hoje em Dia