Opinião: Combate à Covid-19 criará sociedade rastreada como nunca

É difícil encontrar alguém que se arrisque a projetar quando a pandemia de coronavírus será controlada. As consequências do combate à Covid-19, porém, devem continuar mesmo após a crise terminar. Especialistas em proteção de dados concordam que haverá um novo normal em relação à privacidade.

“Teremos uma vigilância e um rastreamento dos dados das pessoas nunca vistos antes”, afirma Gabriela Zanfir-Fortuna, conselheira da ONG Future of Privacy Forum.

Ela se refere a iniciativas adotadas por empresas e governos para rastrear o contágio. É o caso de aplicativos de celular desenvolvidos por governos e empresas e usados para monitorar contatos de usuários. Eles rastreiam e alertam as pessoas que tiveram contato com pacientes diagnosticados com a doença.

“Historicamente, em momentos críticos como o atual, medidas são aceitas e há excessos. O mais arriscado é que após as pandemias não há recuo no grau de monitoramento”, alerta Zanfir-Fortuna.

Como garantir a privacidade em meio a ações para combater a Covid-19? Acredito que ações de monitoramento dessa pandemia possam ser compatíveis com proteção de dados. O que chamamos de proteção de dados não é algo que parte do pressuposto de que a informação pessoal não pode ser usada. O que tentamos garantir é que, quando isso ocorre, algumas regras precisam ser respeitadas. Na Europa, existe uma lei desde 2018 para garantir a privacidade.

Para continuar a ler, clique aqui.

Fonte: Folha de S. Paulo