Sputnik 62 anos: Saiba tudo sobre o primeiro satélite artificial no espaço

O dia 4 de outubro de 1957 marca o início da Era Espacial, com o lançamento bem-sucedido do Sputnik, primeiro satélite artificial colocado na órbita terrestre. Modesto quando comparado aos padrões atuais, o Sputnik dava o pontapé inicial para a exploração e descoberta o Espaço. Depois de 62 anos do seu lançamento, o homem pode colocar os pés na Lua, criar uma estação orbital permanente e enviar sondas e veículos exploradores para todos os planetas do Sistema Solar, além de várias de suas Luas. Além da exploração espacial, o Sputnik abriria espaço também para o uso de satélites de comunicações, algo que é essencial para inúmeras tecnologias do dia a dia, como a Internet, telefonia, TV e GPS.

O satélite era de formato esférico e pesava aproximadamente 83 quilos. No interior, o Sputnik carregava alguns instrumentos que enviavam sinais via rádio. Além disso, o satélite carregava também outros detectores, que foram criados exclusivamente para analisar as características do espaço. Esses detectores se tornaram peças fundamentais para a exploração no Espaço pois, a partir deles, era possível saber se a comunicação funcionaria fora da atmosfera terrestre.

Além disso, o pequeno satélite deu aos cientistas os primeiros dados que permitiram estimar qual era a densidade das camadas mais externas da atmosfera. Em operação por aproximadamente seis meses, o Sputnik foi destruído ao retornar para a Terra e hoje existem apenas réplicas e protótipos de teste criados pela URSS.

Entretanto, o impacto do Sputnik foi muito maior do que seus feitos científicos. Fruto da Guerra Fria, disputada entre os Estados Unidos e União Soviética, o pequeno satélite chocou o mundo porque mostrava que a URSS estava na vanguarda da ciência e que, se tinha a capacidade de colocar um transmissor em órbita, eventualmente, poderia colocar também armas nucleares.

Para continuar a ler, clique aqui.

 

Fonte: TechTudo