Feito pelo Inpe, primeiro satélite brasileiro chega a 25 anos no espaço

 

Projetado, construído e operado pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), de São José dos Campos, o primeiro satélite brasileiro atingiu a marca de 25 anos de operação em órbita, completando 132.010 voltas ao redor da Terra.

Nesse tempo, o SCD-1 (Satélite de Coleta de Dados) percorreu, aproximadamente, 5,8 bilhões de quilômetros no espaço, equivalente a 7,6 mil viagens de ida e volta à Lua.

Na época do lançamento, em 1993, o primeiro satélite do país tinha expectativa de apenas um ano de vida operacional. Ele foi levado ao espaço pelo foguete norte-americano Pegasus.

Mesmo com funcionamento limitado, segundo o Inpe, o satélite segue retransmitindo informações para a previsão do tempo e monitoramento do nível de água dos rios e represas, entre outras aplicações.

Devido a uma falha em sua bateria, desde 2010 o satélite só opera enquanto iluminado pelo Sol.

“A longevidade do SCD-1 comprova o alto grau de competência técnica não só das equipes de engenharia espacial e de integração e testes que participaram do desenvolvimento do satélite, como também das equipes de operação em voo do Centro de Rastreio e Controle de Satélites do Inpe”, apontou o instituto.

O lançamento do SCD-1 colocou o Brasil entre as nações que dominam o ciclo completo de uma missão espacial, desde sua concepção até o final de sua operação em órbita. Marcou ainda o início da operação do Sistema de Coleta de Dados Brasileiro, que fornece informações para instituições nacionais governamentais e do setor privado.

 

Fonte: O Vale