Primeiro mapeamento submarino em 3D do hemisfério sul revela falha geológica ativa ‘perigosa’

Os olhos da maioria dos cientistas estão voltados para a falha geológica chamada de Liquiñe-Ofqui Fault, que está a cerca de 1.200 quilômetros do vulcão Copahue e do Golfo de Penas. É a mesma falha que causou um terremoto e um tsunami com ondas de seis metros de altura no fiorde de Aysén, em 2007, e a erupção do vulcão Chaitén em 2008.

A ideia da expedição era estabelecer as bases do estudo da geologia marinha no país, diz Patricio Fernández, pesquisador do Departamento de Geologia da Universidade de Chile, que liderou a equipe. Até agora, muito pouco trabalho deste tipo tem sido desenvolvido, principalmente por equipes estrangeiras.

A análise do geólogo Gregory Le Pascale, também da Universidade do Chile, concentrou-se em determinar quão ativa era a falha, qual seria a sua geometria e a possibilidade de causar terremotos superficiais de magnitude significativa. Para isso, também foi feito o mapeamento em 3D e monitoramento de superfície com drones.

— O que observamos nos dados é que essa falha tem várias ramificações e um potencial para gerar terremotos de grau 7, mas o que a torna mais perigosa é que são terremotos superficiais — afirmou Le Pascale.

Ele explica que, diferentemente daqueles sismos gerados em grande profundidade, estes podem provocar uma enorme destruição, como a de Christchurch, na Nova Zelândia, em 2011.

Para ler mais, clique aqui.

Fonte: O Globo