Incubadora espacial portuguesa está a receber novas candidaturas

 

A incubadora de empresas portuguesas da Agência Espacial Europeia (ESA BIC Portugal) tem candidaturas abertas a startups que encontrem no Espaço novas oportunidades de negócio.

Podem concorrer startups que integrem tecnologia espacial em aplicações terrestres, mas também empresas com novas ideias de produtos e serviços direcionados ao mercado espacial. As candidaturas para a última call de 2018 podem ser feitas aqui até ao dia 5 de novembro.

Com financiamento de 50 mil euros por empresa, a que acresce apoio técnico e de negócio, a ESA BIC Portugal é coordenada pelo Instituto Pedro Nunes e tem polos no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e na agência DNA Cascais. Destina-se a empresas criadas em Portugal, com menos de cinco anos, que terão de desenvolver uma ideia e um protótipo durante um período máximo de dois anos.

Durante este ano já foram selecionadas para a ESA BIC Portugal quatro novas empresas que estão a aplicar tecnologia espacial no desenvolvimento de produtos de aplicação terrestre.

A Delox está a criar uma tecnologia inovadora de bio-descontaminação de produtos que pode ser usado para esterilizar naves espaciais; a iTrack Solutions está a desenvolver um sistema que pretende aumentar a segurança em aeronaves, permitindo detectar qualquer falha imperceptível sem o uso de equipamentos de medição; a mOceanSense tem um dispositivo para monitorização e registo da performance em desportos de deslize aquático, como o surf; e a Pavnext está a desenvolver um piso que desacelera carros e gera energia.

A Agência Espacial Europeia, que já criou 20 centros de incubação de startups espalhados pela Europa, disponibiliza aos empreendedores e jovens empresários um enorme acervo de tecnologias e dados que as missões espaciais e satélites geram e que podem gerar bons negócios na Terra.

Já com 20 startups apoiadas, a ESA BIC Portugal abriu este ano a porta a startups com ideias de produtos e serviços inovadores pensados para a indústria espacial do futuro, conhecida como Espaço 4.0.

A ESA BIC Portugal tem o apoio do Gabinete do Espaço (FCT/ANI), entre outros stakeholders, como a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), universidades, municípios e investidores, tendo sido considerado de importância estratégica para Portugal, razão pela qual o Governo, através da Fundação da Ciência e Tecnologia, tem investido recursos significativos nesta área.

Fonte: Notícias de Coimbra