Procuram-se na China: mapas para 30 milhões de carros autônomos

 

Chen Dan tinha dúvidas sobre se valia a pena apostar milhões de dólares para fazer mapas de alta definição das ruas e estradas da China. Mas só até assumir o negócio da NavInfo e ver como os mapas são essenciais para os carros autônomos, com uma demanda que pode chegar a bilhões.

Armada com uma das apenas 14 licenças de mapeamento na China, um sistema de permissão restrito a moradores locais que bloqueia rivais estrangeiros, Chen montou uma equipe que mapeará todas as vias e saídas de 150.000 quilômetros de rodovias até meados do ano que vem. Com o apoio da Tencent Holdings, a Navinfo está se preparando para enfrentar empreendimentos financiados pelos gigantes locais da internet Alibaba Group Holding e Baidu.

Uma precisão de centímetros é fundamental para que os carros sem motorista cheguem à China e isso exige um nível de detalhe muito superior ao da navegação passo a passo dos serviços de GPS ou do Google Maps. O mercado de veículos autônomos da China Continental pode valer US$ 500 bilhões até 2030, segundo a McKinsey & Co., e quem tiver as versões mais detalhadas e expansivas de mapas terá um ativo que pode valer bilhões de dólares.

A China pretende ter 30 milhões de veículos autônomos até o fim da próxima década, mas está sendo muito cuidadosa com quem a ajuda a chegar lá. A sensibilidade do governo em relação à segurança e ao acesso a dados fundamentais levou à decisão de bloquear as empresas estrangeiras, entre elas a Waymo, da Alphabet, e a Cruise, da General Motors. Isso significa que quem quiser vender carros sem motorista no maior mercado automotivo do mundo terá que encontrar um parceiro local com mapas que possam ser usados pelos seus veículos.

“O governo chinês precisaria regulamentar cuidadosamente os titulares de licenças de mapeamento em HD para garantir que esses players não abusarão da vantagem de não ter concorrência”, disse Ali Izadi-Najafabadi, analista de Bloomberg New Energy Finance. “As montadoras internacionais estão ansiosas para vender seus veículos autônomos na China, já que o país provavelmente será um dos primeiros a adotar veículos altamente autônomos.”

Para ler mais, clique aqui.

Fonte: UOL